Artigo:

O jogo de azar pode ser uma forma divertida de passar o tempo para algumas pessoas, mas para outras, pode se tornar um vício sério. O vício em jogos de azar afeta pessoas de todas as idades e nacionalidades, e muitas vezes é difícil para os viciados sair desta situação. Neste artigo, vamos compartilhar algumas histórias de pessoas que enfrentaram o vício em jogos de azar e como elas estão se recuperando.

João é um jogador de Portugal que foi atraído pelos jogos de cassino online. Ele começou a jogar para se divertir e, eventualmente, começou a jogar mais e mais vezes, colocando quantias maiores de dinheiro em diversas jogadas. Logo, ele se encontrou em dívida e começou a pedir emprestado dinheiro para continuar a jogar. Por um tempo, ele conseguiu esconder isso de amigos e familiares, mas eventualmente, ele não conseguiu mais manter a aparência de um jogador casual. Foi então que ele percebeu que tinha um problema.

João procurou ajuda de um grupo de apoio para jogadores compulsivos e agora está em recuperação. Ele disse que um fator importante para sua recuperação foi ter alguém para conversar que compartilhasse experiências semelhantes com ele. Quando vi pessoas na minha situação que estavam conseguindo superar, me deu esperança e motivação para fazer o mesmo, disse João.

Outra jogadora, Ana, também de Portugal, começou a jogar em cassinos físicos quando estava em férias na Europa, e logo se encontrou jogando em cassinos próximos de sua casa. Ela começou a perder muito dinheiro e se encontrou em uma dívida impossível de pagar. Para piorar a situação, ela não conseguia parar de jogar, mesmo quando sabia que não podia pagar. Ana disse que seu vício em jogos de azar controlava sua vida e todas as suas decisões giravam em torno de jogar. Ela finalmente procurou ajuda de um terapeuta especializado em jogos de azar e agora está a caminho da recuperação.

Alguns viciados em jogos de azar, como Pedro, de Portugal, começaram a jogar mais tarde na vida. Pedro tinha 50 anos quando começou a jogar em uma máquina de bingo em um local de jogos local. Ele ficou viciado e começou a visitar o local todos os dias. Ele começou a usar cartões de crédito para jogar e logo ficou em uma dívida impossível de pagar. Meu vício em jogos de azar me dominou, disse ele. Eu estava sempre devendo e escondendo isso de minha família e amigos. Pedro também procurou ajuda e está fazendo progresso em sua recuperação. Ele disse que agora está cuidando das suas finanças e aprendeu a controlar seus desejos para jogar.

Estas histórias são apenas algumas das milhares de pessoas que lutam contra o vício em jogos de azar. É importante lembrar que o vício em jogos de azar é uma doença que requer tratamento, e a ajuda está disponível. Se você ou alguém que você conhece está lutando contra o vício em jogos de azar, procure ajuda de um grupo de apoio ou de um terapeuta especializado em jogos de azar. Juntos, podemos ajudar as pessoas a superarem o vício em jogos de azar.